Muito se fala em vida saudável nos dias de hoje, mas poucos sabem do que se trata realmente ter uma vida assim. Praticar, então, essa tal vida saudável, fica mais difícil ainda!
Há muita informação no mídia, internet, jornais, entretanto muitas são as dúvidas...
Este espaço foi criado para divulgação de informações sobre tópicos relacionados a saúde, atividade física, dietas e assuntos afins, com um foco especial na área da Endocrinologia, na qual atuo.
Aproveitem!!!

domingo, 13 de novembro de 2016

Diabetes: Um mal silencioso. “Não deixe o invisível enganar você”


    Voltei a escrever logo hoje, incentivada por essa data tão importante: O Dia Mundial do Diabetes. Parece incrível, mas ainda hoje, com tanta informação e com tantos veículos de informação, pessoas ainda desconhecem essa doença tão devastadora e, infelizmente, comum. A idéia deste blog é justamente fornecer informações confiáveis, de modo a promover um vida mais saudável. Então, vamos entender melhor sobre essa doença tão negligenciada.

   Pra facilitar, podemos dizer que Diabetes é  uma doença crônica na qual o corpo não produz insulina ou não consegue empregar adequadamente aquela que produz. A insulina é um dos hormônios que controla a quantidade de açúcar (glicose) no sangue. O corpo precisa da insulina para transformar o açúcar - obtidos por meio da alimentação -  em energia. Com o nível de glicose alto (hiperglicemia), os órgãos, vasos sanguíneos e nervos podem sofrer danos.

    Atualmente, o diabetes afeta cerca de 246 milhões de pessoas em todo o mundo. De acordo com a Federação Internacional de Diabetes, até 2025 esse número deve aumentar para 380 milhões. No Brasil, mais de 13 milhões de pessoas vivem com a doença, o que representa 6,9% da população. E esse número está crescendo. Em alguns casos, o diagnóstico demora, o que favorece o aparecimento de complicações.

   Este ano se destaca pelo grande número de novidades tanto no tratamento como na monitorização do diabetes. O surgimento de novas drogas, em especial os da classe das GLIFOZINAS e os novos ANÁLOGOS DO GLP-1 (hormônio intestinal naturalmente presente no intestino terminal), lançados este ano no BRASIL, trazem novos horizontes, não só no tratamento da diabetes. Este medicamentos também tem efeitos muito interessantes no peso, promovendo emagrecimento e efeitos benéficos na função cardíaca e prevenção de eventos cardiovasculares (incluindo diminuição de morte por evento cardíaco). E na prática clínica, a resposta tem sido m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a. Destaco também o lançamento do análogo GLP1 de administração semanal, que torna tudo mais prático, já que estes remédios até agora, eram de aplicação injetável subcutânea, diária.

       Na área de monitorização, o lançamento de um aparelho que consegue medir a glicose sem picadas, apenas com a inserção de um sensor trocado a cada 15 dias, que é escaneado quantas for necessário torna a vida do usuário de insulina, especialmente os diabéticos do tipo 1, muito mais prática e segura. Muito animador. A desvantagem ainda fica no preço, já que as fitas de glicemia capilar tem sido fornecidas pelo SUS e este sensor tem um custo mensal que gira em torno de 450 reais, deixando grande parte da população de fora desse benefício.



   Todos os anos, governos do mundo inteiro investem em campanhas para chamar atenção da população para a importância do combate ao diabetes. Mundialmente, existe uma campanha de conscientização chamada "Unidos pelo Diabetes". Com a cor azul como símbolo, mais de 800 monumentos e prédios ao redor do mundo são iluminados de azul no dia 14 de novembro. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Diabetes lança, este ano, a campanha educativa nas redes sociais: “Não deixe o invisível enganar você”.

 Confira mais informações sobre o diabetes:

O diabetes tipo 1 é autoimune, ou seja, por algum motivo ainda desconhecido, o sistema de defesa da pessoa destrói o pâncreas -  a fábrica de insulina -, pois encara o órgão como um ‘inimigo’. Os fatores de risco para esse tipo de diabetes são o histórico familiar de doenças autoimunes (lúpus, doença de tireoide, artrite reumatoide), algumas infecções virais e o estresse.


            O diabetes tipo 2 ocorre quando a insulina não consegue exercer adequadamente o seu papel no organismo. Esse tipo da doença é o que mais cresce no mundo e está associado, principalmente, a obesidade e ao sedentarismo, mas também tendo como fator importante a genética familiar. Outros fatores de risco envolvem a alimentação rica em gordura saturada e açúcar, quadros passados de diabetes gestacional e uso de algumas medicações, como corticoides, antipsicóticos, GH, entre outros.
            O diabetes descontrolado pode causar uma série de complicações ao organismo. No sistema circulatório, ele pode levar ao infarto, causar falta de sangue nas pernas (doença vascular) e acidente vascular cerebral (AVC). Já no sistema nervoso, o diabetes pode gerar a destruição de fibras nervosas responsáveis pela sensibilidade, a sensação de dor constante e a dormências nas mãos e pés. Para o sistema urinário, a doença pode acarretar insuficiência renal. Além disso, o diabetes pode causar a sensação de ‘estômago inchado’, má digestão, diarreia, dificuldade de controlar as evacuações, disfunção erétil e cegueira.

            O tratamento consiste, principalmente, na adoção de hábitos de vida saudáveis, com a prática regular de atividades físicas, com uma alimentação baseada em uma dieta pobre em açúcar e carboidratos e com o uso de alguns medicamentos. Ao contrário do que se pensa, o diabetes tipo 2, quando recém diagnosticado, pode ser curado se a pessoa logo adquirir novos hábitos de vida e fazer uso correto da medicação. O diabético tipo 1, apesar de ter uma condição ‘incurável’, pode e deve levar uma vida normal, apenas tendo um pouco mais de disciplina em manter uma alimentação saudável, monitorando os valores da glicose e aplicando insulina de acordo com sua alimentação. Diversas personalidades e atletas tem diabetes tipo 1 sem que ninguém nem perceba algo diferente.

            A principal forma de prevenção é ter uma vida saudável, moderando o estresse, evitando ganho excessivo peso, praticando atividades físicas e mantendo uma alimentação saudável, rica em verduras, legumes, carnes magras e gorduras insaturadas.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

10 Passos para ALIMENTAÇÃO saudável da criança.

Hoje no Dia da Conscientização contra a Obesidade Infantil resolvi escrever sobre 10 passos para uma alimentação saudável na criança. Vamos levantar essa bandeira com seriedade e não condenar nossos filhos aos transtornos da obesidade!

1- Não ofereça açúcar.
Seu filho não precisa de adição de açúcar em sucos, leite, nem em outras bebidas. Não tendo contato com o açúcar ele simplesmente não sentirá falta do mesmo. Assim, terá oportunidade de sentir o paladar verdadeiro dos alimentos e das frutas, podendo apreciar os sabores sem a interferência do açúcar. Tudo é hábito. a adição de açúcar aumenta o valor calórico sem nutrir de fato.

2- Crianças com menos de 2 anos não devem nem precisam comer doces nem chocolate.
Esses alimentos não acrescentam nutrientes e ainda estão associados a formação de placa bacteriana que afetará a saúde bucal, numa idade que a escovação dos dentes é difícil e nem sempre tão eficaz.

3- Não acrescente sal a comida nem às papinhas.
Mais uma vez, você não sente falta do que não conhece! O sal sem dúvida pode tornar a comida mais palatável porém aumenta em muito o risco de hipertensão arterial e cálculo renal. Trata-se de um hábito. As crianças, em especial os bebes tem uma necessidade muito baixa de sal, que se for acrescido na comida com certeza excederá a recomendação diária.


4- Deixe seu filho ter contato com a comida da forma mais natural possível. Evite liquidificar ou bater os alimentos.

Os bebes devem ter a experiência de tocar na comida, sentir, cheirar e se servir. Mesmo que não seja em todas as refeições, deixe ele experimentar a comida e tocar. Explorando a comida ele terá mais gosto em comer e aumentará naturalmente o repertório de sabores e gostos. A variedade de texturas também é muito importante.

5- Ofereça os alimentos em separado e de modo variado.
Variedade de cores significa variedade de nutrientes. O prato saudável deve ter pelo menos CINCO cores diferentes.

6- Melhor que suco de fruta é a fruta inteira.
Estimule seu filho (a) a comer frutas e não somente a tomar o suco de frutas. As frutas consumidas "in natura" são ricas em fibras e vitaminas que se perdem no processo de confecção do suco. Sucos de fruta são muitas vezes muito calóricos e ricos em carboidratos simples (açúcar natural da fruta mas que rapidamente são absorvidos). Podem até ser consumidos de vez em quando mas não rotineiramente. Sempre tenho em casa água flavorizada ou chá de ervas , como hortelã, cidreira, capim limão, que podem ser consumidos frios substituindo os sucos.

7- Dê o exemplo
Exemplos são mais importantes do que apenas palavras. Exemplos moldam de forma natural e ratificam os preceitos. Minha mãe já dizia: "Os filhos são o reflexo dos pais".

8- Iogurte natural no lugar dos aromatizados e açucarados.
Minha filhas de 2 anos e meio e 11 meses adoram e estão super acostumadas a comer iogurte natural puro ou com granola e frutas. Elas adoram!!! Nem sabem o gosto dos outros tipo de iogurte. O iogurte é rico em bactérias boas para saúde do intestino e ajudam a prevenir obesidade e doenças metabólicas.

9- Não acostume seu filho a comer vendo TV ou outra distração
quando comemos nos distraímos nem nos damos conta do que e quanto ingerimos. Acabamos comendo demais. É claro que de vez em quando não há problema, mas não pode ser uma regra!

10- A criança/ bebe não precisa comer ATÉ O FINAL. Basta estar satisfeito!
Bebês e crianças pequenas comem até se satisfazer. Não tem "olho grande". Não insita para que seu filho coma até o final, programando ele para se acostumar a comer além da satisfação. isso será um problema no futuro. Respeite sua satisfação!



terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Voltando a forma pós parto: parte 3

Medicação para obesidade e suplementos: o que pode e o que não pode?

Muito bem, se você está amamentando as restrições são bem parecidas aquelas da gestação, pois grande parte dos remédio passa para o leite materno. Mesmo assim ainda restam algumas opções para auxiliar ao retorno do peso (ou ao emagrecimento, no caso daquelas que já partiram de um sobrepeso antes da gestação). Para ser mais didática vou separ os suplementos e medicamentos em pode e não pode

Podem ser usados:

Farelo de aveia- aumenta a saciedade e ajuda a regularizar o intestino. Consumida com fruta, iogurte, sopas, na massa de tortas.

Gogi Berry: Frutinha rica em vitaminas:

  •  complexo B, importante para músculos, sistema nervoso, enzimas, 
  •  vitamina C, importante para o sistema imunologico ]
  •  beta-sisterol, que tem ação anti-inflamatória, 
  •  cyperone, um fito-nutriente que proporciona benefícios ao coração e pressão sanguínea 
  •  fisalina, importante para portadores de hepatite B e C. 
  •  betaína, usada pelo fígado para produzir colina, substância necessária para a formação de fosfolípides, componentes de todas as membranas celulares. 
  •  beta-glucanas conhecidos como modificadores da resposta imunológica contra processos infecciosos.

Atua reduzindo obesidade, risco de doenças cardiovasculares e diabetes. Antioxidante e anti-inflamatório.
A dosagem diária recomendada de goji berry é entre 15 e 45 gramas ou 120 ml do seu suco. 

Chia- sementinha que expande ao ser ingerida e absorver água e aumenta muito a saciedade além de ter um efeito incrível reduzindo colesterol. pode ser utilizada 2x dia antes das refeições ou acompanhando fruta/ iogurte/ sopa/ suco, 1 colher se sobremesa em cada tomada é suficiente.

Orlistate (Lystate/ Xenical/ Lipiblock)- Medicações que reduzem a absorção de gordura. Formalmente não consta em bula a indicação para lactantes porém como não é absorvido pelo intestino e atua pontualmente no intestino poderia muito bem ser usado "off label" e acompanhado por seu médico, associado, claro a uma dieta hipocalórica.

Não podem ser usados:

Sibutramina

Anti depressivos e ansioliticos - fluoxetina, sertralina (salvo autorizado por psiquiatra dosando risco beneficio)

Victoza (como uso off label para obesidade)

Termogênicos 

Catecolaminérgicos: Anfepramona, fenproporex, mazindol (que no momento inclusive estão com seu uso restrito no Brasil mas qaue estão para serem liberados novamente)

   Claro que o uso de suplementos e medicamentos deve ser sempre complementar a uma dieta hipocalórica (com menos calorias) e preferencialmente pobre em carboidratos dentro da linha de trabalho que acho mais interessante, e atividade física regular. Sendo assim, logo poderá voltar a entrar naquelas roupas que estão saudosas de serem usadas.... 

   No próximo post vou falar um pouco de "Voltando a forma pós parto: Como não emagrecer demais", a pedido de amigas que estão com medo de irem embora com o vento de tão magras que ficaram.






quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Voltando a forma pós parto: parte 2

   Dando continuidade ao post anterior retorno, após 3 semanas do início do meu programa de "recuperação pós parto", já se foram 2 kg. Neste período não foram pequenas as dificuldades. Vou falar neste post das armadilhas da dieta no período pós parto. 


"Armadilhas da dieta no pós parto"

1. Noites mal dormidas.
Estes primeiros meses são difíceis para todos. Com o passar dos meses, os bebês vão aprendendo a dormir melhor, mas algumas crianças em especial ainda podem acordam de 2/2 h ou despertar no meio da noite e lá se foi o sono. Dias e dias de noites mal dormidas rendem um cansaço sem igual! E isso pode minar todo e qualquer desejo de seguir uma dieta ou um programa de atividade física. 
Descansar durante o dia enquanto o bebe dorme ajuda. Pedir auxílio e delegar os cuidados com o bebê ajuda muito nesse processo. Combine com uma avó, tia ou amiga e pelo menos 2 x na semana tire um tempo pra você fazer uma atividade física ou dormir sem preocupação. Deixe o pai se envolver neste processo! Tirando a amamentação ele pode e deve se envolver em todas as outras tarefas.

2. Visitas que trazem doces e chocolates.
Muitas visitas querem agradar e atenuar o cansaço e trazem doces como um mimo. Avós talentosas também presenteiam a "mamãe" cansada com bolinhos regulares. Seja honesta com as visitas e com você mesmo e sempre que possível avise que está quer voltar logo a forma. Se for inevitável, divida os "agrados" com vizinhos, porteiros e quem mais estiver por perto.
x
3. Depressão pós parto, "Blues " puerperal.
Algumas mulheres podem experienciar um período de tristeza e até depressão nos primeiros meses pós parto. Não adianta afogar as mágoas e compensar na comida. Procure ajuda especializada, converse com seu obstetra e se necessário consulte um psiquiatra. 

4. Confinamento 
Até que todas as primeiras doses de vacinas sejam aplicadas, muito pediatras recomendam que os bebês permaneçam em casa e isso pode significar 3 meses de confinamento ou passeios restritos. ficar esse tempo em casa afogada na rotina de cuidados sem fim do bebê podem levar qualquer um a loucura. Ou pior, a comer. Não seja radical. Negocie passeios a lugares abertos, restaurantes sem muita concentração de pessoas, lugares públicos fora dos horários de pico de movimento. Saia e espaireça. Fará muito bem para cabeça e para sua dieta!

5. Fome desvairada
Amamentar, principalmente nos 2 primeiros meses causa uma fome danada! Durante a noite, isso ainda pode ser pior. Programe lanches saudáveis e dentro do seu programa alimentar. A dieta mais rica em proteínas ajuda e muito na saciedade, além de garantir um leite rico em proteínas essenciais para um bom desenvolvimento do bebê. Invista em fibras e suplementos alimentares que promovam saciedade. Quais suplementos? Estes serão abordados no meu próximo post desta série que vai falar sobre medicação para obesidade e suplementos nesta fase. Posso usar com segurança? Quais?

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Voltando a forma pós parto

   Estou com uma filha de 3 meses e como toda pessoa que sempre lutou com seu peso agora estou passando por uma fase difícil de estar acima do peso saudável , porém um pouco limitada a fazer grandes restrições alimentares por conta da amamentação. Achei interessante então compartilhar com vocês algumas informações sobre este período tão peculiar a recheado de mitos: Dieta e vida pós parto. Poderia fazer uso de  remédios para auxiliar na perda de peso ? Exercício físico, pode? Qual intensidade? Como deve ser a dieta?
   A dieta pós parto , acima de tudo, deve ser uma dieta saudável e bem balanceada quanto aos seus nutrientes. Dentre todas as dietas, optei por uma mais rica em proteínas e com menos carboidrato pela evidencias científicas crescentes de que esta dieta promove perda de peso de forma mais acelerada e manutenção de massa magra. Esse tipo de dieta também ajuda a promover saciedade pela digestibilidade e pelo conteúdo de aminoácidos como alanina e leucina. A restrição de calorias deve ser moderada. Uma restrição grande pode causar diminuição da produção de leite materno. E a oferta de calcio deve ser maior que na dieta tradicional.
  Uma redução de 500 kcal por dia já é suficiente para perda de 500 g por semana. Optei por uma dieta de 1500 kcal que seria o minimo seguro. Vou dar um exemplo de como seria:

Café da manha: 1 fatia de pão integral / 2 fatias de ricota/ 1 xic de leite desnatado/ cafe descafeinado
Colação: iogurte natural desnatado + 1 fruta
Almoço: 150g de carne + folhas verdes e vegetais. / 2 colheres de sopa de leguminosas ( feijão ou lentilha ou grão de bico)
Lanche: 2 fatias de pão integral ou subtituto/ 1 fatia de queijo / cha ou café descafeinado.
Jantar: 150 g de carne ou subtituto/ vegetais/ 1 fruta



Atividade física: musculação, pilates, ginastica localizada para fortalecimento muscular e ganho de  massa magra, tomando cuidado para não ser uma atividade muito intensa. Atividade física extenuante inibe a lactação. A atividade aeróbica também é bem vinda, porém recomenda- se que seja leve a moderada e de curta duração, acompanhada de hidratação abundante! Este, na minha opinião e vivencia é o aspecto mais importante para garantir uma boa produção de leite materno após o retorno a atividade física: hidratação abundante! 
  Além de todos os beneficios ao corpo, a atividade física é essencial para autoestima e para relaxar um pouco do " estresse" de cuidar do bebê e das noites mal dormidas. É. Um momento da mulher, só dela! E o prazer e a alegria ajudam no processo de aleitamento, aumentando a produçao e ejeção do leite materno.
  Eu optei por fazer musculação associada a exercicios aeróbicos divididos em 3 blocos de 10 min ( transport/ escada/ octane) somando um total de atividade de 1h-1h20min.

Minha meta é emagrecer pelo menos 2 kg por mes. Devagar e sempre. Primando pela manutenção do aleitamento mas sem esquecer de mim! Vou atualizando vocês....

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Mudar é preciso! Emagrecimento saudável = vida saudável = mudança duradoura de hábitos


video


Nada é impossível! Por mais difícil que pareça, tudo é possível quando você entende que para atingir um objetivo é necessário uma mudança de atitude. O processo de emagrecimento não é diferente. O primeiro passo do sucesso duradouro é a conscientização de que “do jeito que está, não dá para ficar” e de que o peso e a forma física atual são “reflexos dos meus hábitos atuais”.  Mas mudar não é fácil! As mudanças reais e duradouras são aquelas que vão acontecendo aos poucos e virando rotina.
Naqueles casos em que a perda de peso necessária é muito grande, muitas vezes o tratamento com dieta, atividades física e medicações pode não ser suficiente para atingir perda e principalmente manutenção do peso, sendo indicada a cirurgia bariátrica (com redução do estômago associada ou não a mudança do transito intestinal). Mesmo neste casos, é essencial tentar primeiro o tratamento clinico (dieta + atividade física+ medicações) pois, ainda assim, podemos ter sucesso e no caso do sucesso “parcial” (sem perda de todo peso necessário) a complementação com a cirurgia terá muito mais chances de sucesso com menos complicações.
Não existe fórmula mágica. Existe sim conscientizaçãoo do problema, estrategia e apoio multidiscicplinar com médico endocrinologista coordenando o cuidado que envolve nutricionista, psicólogo, cirurgião, cardiologista, pneumologista e toda outra especialidade envolvida no cuidado as complicações da obesidade.

O vídeo em anexo mostra um caso de sucesso no tratamento clínico realizado em nossa clínica e ilustra muito bem o que é MUDAR HABITOS DE FORMA SAUDAVEL! (Video institucional da Petrobras reproduzido com autorização de imagem)
Parabens GC pelo seu sucesso!!!!

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Bactérias intestinais e emagrecimento

 Há muito tempo já se sabia que o intestino tem bactérias. Nos últimos anos, entretanto, estudos tem chamando atenção para a importância dessas bactérias e seu papel como regulador do nosso metabolismo. Algumas evidências tem inclusive apontado esses microorganismos como “responsáveis” por doenças como obesidade, doenças cardíacas,  e distúrbios do sistema imunológico (sistema de defesa do organismo), dentre outras.
Nosso intestino  é colonizado por um complexo sistema de bactérias,que auxiliam  nosso sistema imunológico, e portanto cuidar bem do intestino significa também cuidar da imunidade.
   A ingestão de alimentos que tem a função de melhorar ou restaurar nossa  flora intestinal, os chamados pré-bióticos,  se torna de grande importância e por isso devemos inclui-los no nosso dia a dia . Os alimentos que fazem parte desse time, são : iogurtes, coalhadas, farelo de aveia , leite fermentado , Kefir , tomate, cebola, trigo ,chicória, mel, cevada, linhaça, chia, quinoa ,  entre outros . Esses alimentos que são prebióticos, entretanto,  também podem provocar mais flatos (gazes), então cuidado com a dose que ira utilizar porque as vezes será necessário ajustar as dose de ingestão. Existe no mercado algumas fibras que tem essa atividade. Para adequar melhor a  ingestão desses alimentos e saber a quantidade correta, procure um nutricionista e faça sua adequação alimentar.
Dietas restritivas, ou contrário do que se pensa, podem diminuir esses alimentos e ter efeitos indesejados a longo prazo.  Dentre estes efeitos podemos citar inclusive diminuição da imunidade ou alteração deste sistema de defesa do organismo, podendo desencadear ou acentuar doenças autoimunes.
  Alguns estudos vem revelando uma correlação importante entre alteração da flora intestinal e surgimento de doença celíaca que é a doença que leva a intolerância ao glúten . Portanto muito cuidado com as restrições sem critérios e sim por modismo !!!!
 Procure sempre um profissional para esclarecer sobre suas dúvidas!

              Najla Elias Farage (Nutricionista) e Dra Mariana Farage (Endocrinologista)